Eu, Apolítico – Notas antimetódicas sobre o debate que nunca verei

Como vocês leitores sabem, ocorreu ontem o primeiro debate dos presidenciáveis, no qual eu não poderia estar menos interessado e ao qual, portanto, não assisti. Não obstante, dado o número exorbitante de comentários de amigos meus do Facebook praticamente narrando o debate, farei alguns comentários mesmo assim, pois fazê-lo sem ter visto o debate é pura zuera e, neste blog, a zuera não tem limites.

Analisarei, segundo o que ouvi falar, um por um dos candidatos. Seguem, então, minhas considerações:

Luciana Genro (PSOL): Pediu regulamentação da mídia, defendeu Aborto, maconha e, se pá, até black blocs. Nada de novo no front… nem no PSOL.

Eduardo Jorge (PV): Fumou a maconha que Genro quer legalizar. Só perdeu em bundamolice para Aécio Neves e Pastor Everaldo. Em se tratando do PV, também nada de novo no front… nem no PV.

Levy Fidelix (PRTB): Mitou do início ao fim e provocou a ira dos libertários ao citar Keynes. Só por isso, já terá meu voto (e por ser o menos bunda-mole dos candidatos).

Eymael (PSDC): Ficou preparando um novo jingle e não pôde comparecer ao debate. A democracia brasileira lamenta essa perda. E justo quando estava prestes a ganhar meu voto…

Zé Maria (PSTU) e o candidato lá do PCO: Não debatem nas dependências da mídia tradicional burguesa e fascista. Provavelmente pedirão um debate com os outros candidatos dentro de algum Diretório Acadêmico de Humanas. De preferência, o da USP.

Pastor Everaldo (PSC): Menos liberal-conservadorismo, mais culhões, por favor. E que SEJE um pouco menos afobado da próxima vez.

Marina Silva (PSB): Certamente falou alguma coisa em defesa das teses malucas dos ambientalistas e, dois minutos depois, garantiu que não tem qualquer rixa com os maiores apoiadores do Partido, os homens do agronegócio. Nada de novo no front… nem na Rede, digo, no PSB.

Aécio Neves (PSDB): Deve ter sido bunda-mole como 99% dos adeptos da social-democracia e como 100% dos membros do PSDB. Novamente, nada de novo no front… nem no partido mais frouxo do Brasil.

Dilma Rousseff (PT): “Porque, veja bem, Bonner, se dois mais dois é igual a quatro e o Partido diz que é cinco, o caso é que eu sou presidente da república e não posso emitir opinião em tópicos que me deixem em uma saia justa com qualquer dos lados.” Preciso dizer algo mais?

Concluindo, sabe qual não é o nome do que eu acabei de fazer, amigo leitor? Política.

Octavius é professor, graduando em Letras, antiolavette e polemista medíocre. Ainda tem alguma esperança de encontrar humor (e amor) na blogosfera. Bloga, também, em Sociedade Alternativa de Letras, mantendo uma coluna mais ou menos ativa e homônima a este blog.

Anúncios

3 comentários

  1. Provavelmente pedirão um debate com os outros candidatos dentro de algum Diretório Acadêmico de Humanas. De preferência, o da USP.
    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    OK eu ri dessa principalmente porque DCE dá USP vai fazer uma sabatina com os candidatos a presidência e o cara do PCO recusou o convite! Quem diria em?

      1. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK Sei lá tem malucos radicais em todos os lados! Alem de que a USP é uma coisa muito difícil de definir pois tem um milhão de correntes de pensamento e tudo mais. Afinal a FEA é próxima a FFLCH por exemplo.
        Porem achei o texto muito engraçado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s